Distribuidora, revenda e depósito de gás: entenda as diferenças | Ultragaz Revendas
Distribuidora, revenda e depósito de gás: entenda as diferenças

Ideias e Negócios

Distribuidora, revenda e depósito de gás: entenda as diferenças

Distribuidora, revenda e depósito de gás: entenda as diferenças

O que faz uma distribuidora, uma revenda e um depósito de gás? Qual o papel de cada empresa do mercado de gás? E quais são as oportunidades para quem quer investir nesse setor?

Em geral, há uma confusão de clientes e empreendedores ao se referir a cada elo dessa cadeia. Na Resolução 49/2016, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis define os papéis das diferentes empresas na distribuição de GLP (gás liquefeito de petróleo).  Confira quem é quem nesse setor e entenda como você pode fazer parte dele.

Distribuidora de GLP

São as empresas autorizadas pela ANP a exercer a atividade de distribuição de GLP. A atividade das distribuidoras, de acordo com a resolução, compreende aquisição, armazenamento, envasamento, transporte, comercialização e controle de qualidade de GLP, assim como a assistência técnica ao consumidor. Ou seja, são elas que fornecem o GLP para as empresas e que abastecem as revendas que comercializam para residências e pequenos comércios.

O mercado brasileiro possui diversas distribuidoras e as quatro maiores – Ultragaz, Liquigás, Supergasbras e Nacional Gás – detêm 83% da participação de mercado, segundo dados do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) de 2020. Fundada em 1937, a Ultragaz foi a primeira distribuidora de GLP do Brasil.

Depósito de gás

A norma da ANP estabelece a figura do “depósito de recipientes transportáveis de GLP”, que é um estabelecimento do distribuidor de GLP utilizado apenas para armazenar recipientes de GLP cheios, parcialmente cheios ou vazios. O espaço pode possuir ou não instalações para envasamento de botijões.

Na prática, porém, não é comum a existência de ambientes utilizados exclusivamente para armazenar recipientes. “Quando o cliente ou o empreendedor fala em depósito de gás, normalmente está se referindo a revendas de gás”, afirma Robson Vasconcelos da Silva, gerente comercial da Ultragaz no estado do Espírito Santo e norte do Rio de Janeiro.

Ele explica que o uso do termo depósito de gás para falar de locais que comercializam o GLP se deve a um período em que os estabelecimentos não tinham delivery.  Com isso, os botijões ficavam armazenados e era comum o cliente ir até o “depósito” para adquiri-los.

Revenda de gás

A revenda é o estabelecimento responsável pela comercialização de botijões de GLP. Ela adquire o GLP e utiliza a marca da distribuidora. Pode atender tanto pessoas físicas quanto jurídicas, como estabelecimentos comerciais de uma determinada região. É considerado um modelo de negócio sólido e rentável mesmo em tempos de crise.

“O gás é um item de necessidade básica e de consumo constante, inclusive em momentos de instabilidade econômica. Durante a pandemia do coronavírus, por exemplo, enquanto muitos negócios foram impedidos de funcionar, as revendas de gás funcionaram e tiveram inclusive um aumento na demanda”, afirma Robson.

LEIA NO BLOG: Revendas Ultragaz aumentam vendas e base de clientes na crise

O investimento para abrir uma revenda de gás é de pelo menos R$ 60 mil e o terreno precisa ter no mínimo 100 m². Para iniciar a operação, é necessário obter alvará da prefeitura, do Corpo de Bombeiros e liberação da ANP. O tempo total para cumprir as etapas burocráticas varia de acordo com o município e o estado, mas leva em média seis meses.

Conheça o passo a passo para abrir uma revenda de gás. 


Comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.